Portal NippoBrasil - OnLine - 19 anos
Sábado, 31 de julho de 2021 - 9h57
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPORTES
Copa 2014
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-

É verão no Japão! Seis maneiras de conhecer o Monte Fuji, o destaque da estação

A montanha mais famosa do país abre suas trilhas de julho a setembro e oferece diversas atrações em seu entorno


Shizuoka Prefectural Tourist Association

Fonte e imagens: Divulgação JNTO

Julho chegou e, com ele, o verão no Japão. A estação, caracterizada pelo clima quente e úmido, é muito aguardada pelos japoneses. A época é ideal para visitar as montanhas e aproveitar a natureza, e o Monte Fuji se destaca entre as diferentes atrações do país. A montanha mais alta do Japão oferece inúmeras atividades que permitem explorar sua área, se divertir e apreciar belas paisagens.

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) seleciona uma lista de atividades que permitem conhecer o vulcão de maneiras e ângulos diferentes. Passeios tradicionais e inusitados na região para inspirar futuras viagens ao Japão.


(Shizuoka Prefectural Tourist Association)

Das alturas: pelas trilhas que levam ao topo

O cartão postal mais famoso do Japão está localizado no sudeste da província de Yamanashi, próximo da divisa com Shizuoka. O vulcão tem mais de 3.500 metros de altura e é um Patrimônio Mundial da UNESCO. A maneira mais tradicional, no Japão, de explorar o Monte Fuji é por meio de suas trilhas que levam ao topo. A escalada já foi vista como uma peregrinação religiosa e, hoje, é conhecida por sua beleza natural e significado cultural.

Há quatro trilhas abertas ao público: Subashiri, Fujinomiya, Gotemba e Yoshida. Todas partem da mesma região, a Estação Shin-Fuji, em Shizuoka, que oferece transportes que levam os aventureiros. As trilhas abrem em julho e fecham no início de setembro. Cada uma delas tem suas peculiaridades e graus de dificuldade. Vale se aventurar por elas durante a madrugada, para vivenciar o nascer do sol deslumbrante das alturas. Não é preciso ser um profissional para escalar o Monte Fuji, mas é importante estar em boas condições físicas. Agências de viagens organizam excursões até o local, e há acomodações e infraestrutura nos caminhos para atender aos visitantes.

Mais informações sobre as trilhas: https://www.japan.travel/pt/fuji-guide/mt-fuji-climbing-guide/


Escalada ao pico do Monte Fuji
(Shizuoka Prefectural Tourist Association)

De sua base: nos locais sagrados aos pés da montanha

Os praticantes do budismo e do xintoísmo costumam frequentar os notáveis templos e santuários na base do vulcão. Uma boa forma de conhecer o Fuji-san e compreender sua importância histórica e cultural é visitando um desses locais sagrados.

O Santuário Kitaguchi Hongu Fuji Sengen-jinja, em Yamanashi, guarda a histórica entrada para o Monte Fuji. O enorme portão (Fujisan Otorii) marca a passagem deste mundo e a chegada ao mundo sagrado xintoísta, e foi ponto de partida para as peregrinações no passado. O local é cercado por enormes e milenares cedros japoneses. As árvores gêmeas Taro e Jiro se destacam.

Mais informações sobre o santuário: https://www.japan.travel/pt/spot/1326/


Santuário Kitaguchi Hongu Fuji Sengen-jinja, em Yamanashi
(Yamanashi Tourism Organization)

Por dentro: explorando suas cavernas

O Monte Fuji é um grande vulcão que se formou há cerca de 100 mil anos. Como resultado da sobreposição de suas erupções, diversas cavernas se formaram. Algumas delas podem ser visitadas, como a Caverna de Gelo de Narusawa, no coração da Floresta de Aokigahara, no distrito de Minamitsuru, em Yamanashi.

O local tem 21 metros de profundidade e é um excelente refúgio gelado durante o verão, com temperaturas próximas ao zero grau Celsius. A caverna tem em seu interior estalactites e estalagmites de gelo, algumas com 30 metros de altura e uma trilha de caminhada conduz os visitantes em seu interior.

Mais informações sobre a caverna: https://www.japan.travel/pt/spot/201/

De ponta cabeça: se aventurando em um montanha-russa

Aos pés do imponente vulcão, na cidade de Fujiyoshida, em Yamanashi está o Fuji-Q Highland, um famoso parque temático que oferece, além de atrações radicais, vistas incríveis do Monte Fuji. O local é conhecido por suas impressionantes montanhas-russas, incluídas com frequência no Livro Guinness dos Recordes, como duas das montanhas-russas entre as mais velozes do mundo.

Para quem prefere economizar na adrenalina, há atrações mais calmas como brinquedos aquáticos, um labirinto, um carrossel clássico, xícaras giratórias e uma roda-gigante. A área do parque inclui um hotel, o Highland Resort & Spa, com quartos temáticos e vistas do Monte Fuji.

Mais informações sobre o parque de diversões: https://www.japan.travel/pt/spot/1332/

Na companhia de uma girafa em um safari

Na cidade de Susono, em Shizuoka, é possível admirar o Monte Fuji durante um passeio entre animais selvagens, criados em liberdade, no Parque Safári de Fuji. O local é um santuário com espécies do continente africano. Leões, girafas e elefantes vivem na grande área verde aos pés da montanha mais alta do Japão. É possível fazer o passeio a pé, de carro próprio ou alugado no local, ou de ônibus. Há também opção de safári noturno no verão.
Mais informações sobre o parque: https://www.japan.travel/pt/spot/1307/

Da água, na região dos Cinco Lagos de Fuji

Ao norte do Monte Fuji está a região dos Cinco Lagos de Fuji, um destino popular para atividades ao ar livre. No verão, muitos visitam a área repleta de resorts e pousadas e oferecem muitas opções para a prática de esportes aquáticos e caminhadas. Os lagos oferecem vistas de ângulos diferentes da montanha, e neles é possível fazer passeios de barco, pescar, praticar windsurfe ou esqui aquático e ao mesmo tempo contemplar o principal cartão postal do Japão.

Mais informações sobre a região:
https://www.japan.travel/pt/destinations/tokai/yamanashi/fuji-five-lakes/


Região dos Cinco Lagos de Fuji
(Yamanashi Tourism Organization)

Informações sobre viagens

Devido à pandemia, as restrições de viagem estão mudando continuamente e se adaptarão conforme a situação evolui globalmente. A JNTO recomenda visitar seu site para obter as últimas notícias sobre o Japão e as restrições de viagens relacionadas à Covid-19. Acesse: https://www.japan.travel/en/coronavirus/

Sobre a JNTO

A Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) é um órgão governamental japonês com escritórios em 22 cidades ao redor do mundo. A organização está envolvida em uma ampla variedade de atividades para incentivar turistas internacionais de todo o mundo a visitar o Japão. A JNTO presta consultoria em vendas de pacotes turísticos, sugestões e assistência na criação de itinerários para o Japão, e incentiva associações acadêmicas e industriais a realizar congressos no Japão, além de promovê-lo para as pessoas interessadas. Além disso, publica regularmente estatísticas de turismo e relatórios de mercado.


NippoBrasil - 29 de julho de 2021
 Arquivo - Turismo Japão
TURISMO JAPÃO
• É verão no Japão! Seis maneiras de conhecer o Monte Fuji, o destaque da estação
ARQUIVO - EDIÇÃO 280
• Soka: Industrialização traz rápido progresso à cidade
ARQUIVO - EDIÇÃO 279
• Hirakata: Tranqüilidade na divisa de três províncias
TURISMO JAPÃO
• Conexão com a natureza: no Japão, banho de floresta ajuda a relaxar e a se desligar da vida agitada
ARQUIVO - EDIÇÃO 276
• NIigata
TURISMO JAPÃO
• Ano Novo no Japão: Celebração mais importante do calendário do arquipélago busca renovação e purificação
TURISMO JAPÃO
• Omotenashi: A experiência da hospitalidade japonesa nos tradicionais ryokans
ARQUIVO - EDIÇÃO 270
• Tohoku
ARQUIVO - EDIÇÃO 267
• Komatsu
ARQUIVO - EDIÇÃO 258
• Chugoku-Shikoku - O coração do Japão
ARQUIVO - EDIÇÃO 254
• Templo Horyuji
ARQUIVO - EDIÇÃO 247
• Niigata
ARQUIVO - EDIÇÃO 244
• Monte Fuji
ARQUIVO - EDIÇÃO 242
• Okinawa
ARQUIVO - EDIÇÃO 240
• Hokuriku
ARQUIVO - EDIÇÃO 236
• Nikko: a cidade dos santuários
ARQUIVO - EDIÇÃO 232
• Kamakura
ARQUIVO - EDIÇÃO 229
• Yamanashi
ARQUIVO - EDIÇÃO 227
• Okayama
ARQUIVO - EDIÇÃO 222
• Hakone
ARQUIVO - EDIÇÃO 220
• Osaka
ARQUIVO - EDIÇÃO 216
• Iwate
ARQUIVO - EDIÇÃO 214
• Ilha de Sado
ARQUIVO - EDIÇÃO 211
• Hokkaido - Tudo começou em Naka Furano
ARQUIVO - EDIÇÃO 208
• Kansai - Redescobrindo as belezas da região
ARQUIVO - EDIÇÃO 205
• Soka
ARQUIVO - EDIÇÃO 202
• Hirakata
ARQUIVO - EDIÇÃO 199
• Niigata
ARQUIVO - EDIÇÃO 197
• Tohoku
ARQUIVO - EDIÇÃO 195
• Tóquio e arredores: belezas que encantam
ARQUIVO - EDIÇÃO 193
• Chugoku-Shigoku: O coração do Japão
ARQUIVO - EDIÇÃO 191
• Okinawa: Uma região de paraísos subtropicais
ARQUIVO - EDIÇÃO 189
• Nagasaki - O berço cristão japonês
ARQUIVO - EDIÇÃO 187
• Shimabara
ARQUIVO - EDIÇÃO 185
• Tottori: O Saara japonês
ARQUIVO - EDIÇÃO 183
• Matsue - A herança intacta dos samurais
ARQUIVO - EDIÇÃO 181
• Chiba conserva folclore cultural da região
ARQUIVO - EDIÇÃO 179
• Okutama: Refrescando-se nas montanhas
ARQUIVO - EDIÇÃO 177
• Mito: A cidade de um dos mais belos jardins japoneses
ARQUIVO - EDIÇÃO 175
• Izu - O paraíso das águas


A empresa responsável pela publicação da mídia eletrônica www.nippo.com.br não é detentora de nenhuma agência de turismo e/ou de contratação de decasségui, escolas de línguas/informática, fábricas ou produtos diversos com nomes similares e/ou de outros segmentos.

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante. Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

© Copyright 1992 - 2021 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados