PORTAL NIPPOBRASIL ONLINE - 19 ANOS
-
Fale conosco: adm@nippo.com.br   
Quinta-feira, 11 de agosto de 2022 - 14h34
DESTAQUES:
  Empregos no Japão

  Busca
 

SEÇÕES
Comunidade
Opinião
Circuito
Notícias
Agenda
Dekassegui
Entrevistas
Especial
-
VARIEDADES
Aula de Japonês
Automóveis
Artesanato
Beleza
Bichos
Budô
Comidas do Japão
Cultura-Tradicional
Culinária
Haicai
História do Japão
Horóscopo
Lendas do Japão
Mangá
Pesca
Saúde
Turismo-Brasil
Turismo-Japão
-
ESPECIAIS
Imigração
Tratado Amizade
Bomba Hiroshima
Japan House
Festival do Japão
-
COLUNAS
Conversando RH
Mensagens
Shinyashiki
-
CLASSIFICADOS
Econômico
Empregos BR
Guia Profissionais
Imóveis
Oportunidades
Ponto de Encontro
-
INSTITUCIONAL
Redação
Quem somos
-
Caderno Pesca

Nós
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
e como fazê-los passo a passo

(Texto e imagens: www.pesca.com.br)

Os nós são voltas e entrelaçamentos feitos com a linha de pesca para prender anzol, girador, isca artificial, presilha, chumbada, etc. Serve também para unir linhas de diâmetros e materiais iguais ou diferentes.

Na maioria das vezes, após atarmos uma linha a um anzol, em que a nossa grande preocupação é fazê-lo rápido, quase nunca nos preocupamos com a escolha do nó, ou até mesmo lubrificá-lo com saliva para o aperto final. Quando nos deparamos com o rompimento, logo julgamos a qualidade da linha como a culpada, e não um nó inadequado. Pense nisso.

 
Nós mais usados

Nó de sangue
É o nó mais conhecido e usado para ligar linha aos terminais. O nó desliza melhor com monofilamentos de náilon do que com linha multifios. Siga as instruções:

Passe cerca de 15 centímetros da ponta da linha pelo olho do anzol, argola do girador ou da isca artificial; volte e faça cinco voltas em torno da linha principal. Segurando as espirais no lugar, passe a ponta da linha pela primeira volta acima do olho do anzol e, em seguida, pelo círculo maior. Esta passagem pelo círculo elevará a resistência ao nó em 30% sobre o mesmo nó atado sem ela.

 
Nó palomar
Aqui está um nó considerado o mais forte para terminais de anzóis, iscas artificiais e giradores. Siga os passos:
1- Dobre cerca de 20 centímetros de linha e passe pelo olho do anzol, ou pela argola de qualquer outro material.
2- Faça uma meia-volta com a linha dupla.
3- Passe totalmente o anzol pela extremidade do círculo, até que ele encontre a linha dupla um pouco além da meia-volta.
4- Lubrifique bem e aperte o nó puxando a ponta da linha e a linha principal num sentido e o anzol em outro, cuidando para que a extremidade da alça formada deslize pela linha dupla até além do olho do anzol. Corte a ponta da linha dois milímetros distante do nó.
 

Nós para iscas artificiais
Este nó permite que as iscas artificiais mantenham a ação, movimentando-se na alça por ele formada. É sempre recomendável atar este nó a um líder pelo menos duas vezes mais resistente que a linha principal.
1- Antes de inserir a ponta da linha pelo olho da isca artificial, faça um laço através de uma meia-volta alguns centímetros acima da ponta da linha.
2- Passe a ponta da linha pelo olho da isca artificial e pelo laço.
3- Segurando as espirais no lugar com uma mão, puxe com a outra a ponta da linha apenas até o nó encostar.
4- Ajuste as espirais formadas junto à pata do anzol, lubrifique e aperte o nó, puxando as duas partes da linha em sentidos opostos. Corte a ponta da linha rente ao nó.

 
Serviço:
Pesca.com.br – www.pesca.com.br
 Arquivo - Pesca
Edição 288
Dicas para uma pesca tranqüila
Edição 286
Conheça alguns dos paraísos dos pescadores espalhados pelo Brasil
Edição 285
Variedade de iscas vivas sempre ajuda
Edição 281
Isca araçatubinha: original é feita em madeira
Edição 275
Emater divulga produção de tilápia
Edição 271
Rio Aguapeí: pescaria com muita beleza
Edição 269
Piscicultores precisam melhorar a qualidade do peixe para evitar prejuízos
Edição 263
Ainda há peixes nobres no Rio Paraná
Edição 261
Brasileiros mantêm pesca como hobby no Japão
Edição 259
Carpas coloridas criadas em Mogi das Cruzes
Edição 258
Pesca subaquática no interior de SP
Edição 257
Mexilhão dourado: espécie pode causar danos à piscicultura no MS
Edição 256
Equipe Tucunaguisa em busca de tucunarés entre São Paulo e Mato Grosso do Sul
Edição 254
Corvina: uma pesca muito especial
Edição 253
Desprezadas, piranhas superlotam o Tietê
Edição 252
Descoberta nova espécie de peixe no MS
Edição 250
O tão amado e tão odiado Black Bass...
Edição 249
Tucunaré, peixe de qualquer época nos lagos hidrelétricos do interior de SP
De encontro aos peixes gigantes...
Pesca e stress
Sinta a esportividade do Tucunaré em Panorama
Numa pescaria, o que vale é a AMIZADE...
Marlin-azul tem a primeira marcação eletrônica do Brasil
Conheça os peixes Apapá e o Pampo
Tucunaré, problema ou solução?
Dicas de Pescador
História de pescador
Mulheres na pesca - Sorte ou azar?
As estrelas do inverno
Mulheres nos pesque-pagues
Tambacus, brigadores indiscutíveis
Pescarias nos pesque-pague
Em busca dos tucunarés gigantes
Alto-mar: uma pescaria fascinante
Confira alguns nós mais utilizados nas pescarias
Embarcar numa excursão de pesca vale a pena?

© Copyright 1992 - 2016 - NippoBrasil - Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br

O conteúdo dos anúncios é de responsabilidade exclusiva do anunciante.
Antes de fechar qualquer negócio ou compra, verifique antes a sua idoneidade. Veja algumas dicas aqui.

Sobre o Portal NippoBrasil | Fale com o Nippo